Como construir uma boa estratégia de pricing para empreendimentos imobiliários

Como construir uma estratégia de pricing assertiva?

Quando se fala em moradia, a estabilidade e a segurança são aspectos fáceis de serem relacionados ao termo. No entanto, esses aspectos estão distantes do momento atual – moldado por uma série de mudanças e ajustes de prioridades.

O cenário evoluiu, os interesses dos clientes também e as estratégias de marketing e pricing seguem o mesmo caminho. Logo, há o desafio de ponderar oportunidades, tendências e riscos. Por isso, neste post vamos tratar sobre:

  • O que é um pricing assertivo no setor imobiliário
  • Por onde começar a estratégia de pricing
  • Como melhorar resultados a partir do conhecimento dos clientes 
  • Como fazer uma boa estratégia de pricing

O que é um pricing assertivo no setor imobiliário? 

A crescente de novos negócios no mercado de imóveis coincide com a mudança de conduta do brasileiro em relação às políticas de prevenção à pandemia. 

O fato também fomentou a transformação digital de muitas empresas, bem como a mudança de hábitos e prioridades dos clientes. Isso evidencia a necessidade de uma precificação coerente e alinhada ao negócio e aos públicos. 

Após a chegada da crise, o perfil de imóveis mais buscados já possui uma outra configuração. Antes, as áreas mais próximas dos centros urbanos se destacavam. Porém, as buscas hoje são por imóveis mais distantes e maiores, com jardins e varandas, diz a Abrainc – em um estudo focado na classe alta de São Paulo.

Essa mudança retrata as novas necessidades de alguns brasileiros. Além disso, é preciso entender que tais preferências variam quando os fatores – como a renda e a geolocalização – são outros. Isso torna a existência de uma estratégia afiada de precificação algo crucial. 

Assim, a assertividade da estratégia de pricing consiste em entender de forma rápida o contexto, ter excelência ao entregar valor e otimizar os resultados. Cumpre-se bem esse papel quando se tem como base o uso da inteligência de dados. 

Por onde começar a estratégia de pricing? 

É muito comum surgir a dúvida na hora de precificar um imóvel. E a generalização de critérios é a responsável por uma precificação imprecisa e a perda de bons negócios. 

De acordo o coordenador do nosso time de Ciência de Dados, Vinícius Teodoro, uma boa estratégia de pricing deve considerar uma gestão recorrente dos dados. E que avalie não só o produto, mas também os contextos internos e externos ao negócio. 

Além disso, ele afirma que a precificação varia conforme o perfil do possível comprador e como ele enxerga o valor ofertado pelo imóvel. O Vinicius diz que se constrói os próximos passos ao integrar os dados do negócio ao conhecimento e à capacidade de análise de comportamento.

Isso quer dizer que o pricing muda desde, por exemplo, as características básicas, como o número de quartos, vagas, o tamanho do imóvel e até se na região que ele está inserido há muito trânsito. Por isso, conhecer o que seu cliente busca permite ser mais flexível nas ofertas e, assim, conseguir os melhores resultados.

Ou seja, conhecimento é a chave. 

Conheça o seu público e tenha os melhores resultados 

É fato que a mudança de hábitos provocada pela pandemia é uma das variáveis que ditaram o crescimento do setor imobiliário. E a busca por locais mais espaçosos, arejados e com mais conforto é um dos motivos para essa alteração.

Autoridades do mercado de imóveis do Brasil afirmam que estamos vivendo um miniboom do setor. Afirma-se que a pandemia fez com que o modo de viver foi repensado e a demanda pela compra de imóveis começou a se mostrar maior do que a oferta. Isso se deve aos juros mais baixos e à concessão de crédito imobiliário.

Ao saber disso, podemos inferir que o setor vai continuar crescendo e que há um grande potencial para atender novos clientes. Mas afirmamos que para acompanhar esse aumento é preciso estar atento aos desejos dos compradores. 

Então, para melhorar os resultados é importante considerar sempre o consumidor e as suas singularidades no centro das ações.

Inteligência de dados como chave para uma boa estratégia de pricing 

O senso crítico dos clientes torna o uso da inteligência de dados ainda mais vital para o negócio. Além disso, personalizar e identificar as singularidades dos clientes é que enriquece a oferta. O consumidor irá perceber o seu produto não só pelo valor, mas também pela qualidade do atendimento, a confiança transmitida e a comodidade.

Portanto, construir uma estratégia de pricing assertiva resulta em uma visão global do negócio a partir de insights bem fundamentados. Esses que são resultantes de uma boa análise e inteligência de dados, uma vez que as variáveis internas e externas são ponderadas na elaboração de ações. É preciso entender que o uso desse recurso é que ajuda a impulsionar melhores resultados de negócio. 

Saiba mais sobre como a inteligência de dados pode alavancar o seu negócio: entre em contato com a Cinnecta.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe aqui o seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *