cultura-de-dados-como-fomentar-corretamente

Cultura de dados: sua empresa conduz as estratégias corretamente?

Ter uma cultura de dados, em que a mensuração e a atualização constantes são pré-requisitos, é uma tarefa necessária para empresas que desejam se manter competitivas e escaláveis. 

A ausência desses dois pilares podem trazer equívocos e a crença de que tais informações orientam, de fato, seus processos.

Diante disso, você sabe o que tem prejudicado o bom fomento e a execução de uma cultura de dados em sua empresa? E quais são os impactos desses erros?

O que afeta a execução da sua estratégia? 

A crise dos últimos meses foi um fator agravante e responsável por evidenciar o quão é necessário ter uma boa leitura de cenários, previsibilidade e agilidade. Nesse meio tempo, novas opiniões e formas de se comportar determinaram a mudança de rota de muitas organizações.

A inserção de inteligência de dados aparece, então, como parte da estratégia utilizada para superar esses desafios. “Data is the new oil” ouve-se falar, mas eis a questão: você consegue extrair valor dessas informações? Os resultados gerados estão alinhados com o seu modelo de negócio?

Para facilitar o mapeamento desses gargalos, enumeramos aqui os principais entraves para o fortalecimento desse olhar organizacional.

Os obstáculos para a boa execução de uma cultura de dados

Conforme a Forrester, apenas 27% dos líderes são capazes de fazer ajustes de estratégias em tempo real. E mais, só 34% deles abandonam o achismo e agem com base em dados.

Se sua organização têm gestores que seguem o mesmo padrão desses 34% ou deseja se adequar a esses moldes, entenda alguns dos principais impasses: 

Casa desorganizada

Ok, sua empresa já trabalha com dados. Entretanto, é importante se ater ao seguinte ponto: todos os envolvidos no processo devem ter uma fonte central de informações confiáveis.

Isso porque cada time atua a sua maneira. Então, se são múltiplas as versões de relatórios, também serão muitas e distintas as verdades consideradas nas estratégias de cada área. Mesmo os dados estejam dados corretos, a rastreabilidade das informações pode ser comprometida. 

Esse alinhamento também é uma questão para os líderes entrevistados na pesquisa: 57% deles declaram que a ausência de centralização é um obstáculo que impacta na conversão. 

Dados por dados 

Não aceitar o que os dados dizem é diferente de analisá-los com cautela. Por vezes, a fase do achismo já foi superada, porém a leitura de dados sem contexto ou com um pré-conceito também é problemática.

Isso é ilustrado pela dificuldade de muitos executivos de abrir mão de um viés de negócio esperado em detrimento de dados que entregam outros insights. As oscilações do mercado e comportamento dos clientes estão ainda maiores, portanto, o ideal é que as estratégias não se concentrem em paradigmas.

Contentar-se com os dados e pensar que só de tê-los as questões e incertezas do negócio foram solucionadas é um grande engano. No montante, podem passar despercebidas informações sutis e fundamentais para mudar a realidade do empreendimento e do desenvolvimento de estratégias assertivas.

Cultura de dados e ansiedade 

Essa é uma questão sensível e que estimula a ocorrência dos gargalos anteriormente citados. 

Parte dos executivos esperam que o time responsável ou as empresas parceiras retornem resultados imediatos ao investir em projetos data-driven. Isso implica em fontes não confiáveis de informação e, consequentemente, em insights equivocados. 

A resposta para esse e os outros pontos de atenção é compreender que a otimização vem com mais insumos, dados e avaliação de contextos. E, isso demanda tempo. 

Grande parte do desafio dos projetos de dados está em construir uma base que possua informação confiável e que gere valor para o negócio. Por incrível que pareça, esse é o maior motivo de falhas em projetos.

Logo, é importante lapidar bem os seus dados.

O que sua empresa pode fazer para sanar a maioria desses problemas?

Isso posto, temos três dicas:  

  1. Facilite o sucesso do negócio e de quem trabalha com você. A parte de limpeza e consolidação dos dados pode ser reduzida pela estruturação e organização das informações de sua empresa. Isso acelera os processos e melhora os resultados.
  2. Crie teorias depois de ter os dados centralizados e confiáveis. Oposto a isso, são altas as chances dos dados que foram combinados ao contexto serem distorcidas para se adequar às teses pré-concebidas. Erro em estratégia, impacto na geração de valor. 
  3. Times alinhados geram melhores resultados. Além da centralidade, é importante que as áreas de negócios e dados tenham uma relação simbiótica e de comunicação transparente.

Eficácia e cultura de dados 

Uma cultura de dados eficiente permite não só a melhoria no serviço do prestado, mas também a otimização de processos internos. Ela retrata os destaques, os pontos de melhoria, bem como a capacidade preditiva e de resiliência – uma vez que oportuniza a antecipação de tendências e mudanças de mercado. 

Antes da crise já era evidente a necessidade da digitalizar e do uso de dados para ter insights mais assertivos. Agora, fica ainda mais explícito que as empresas que estão saindo na frente são as que investem em inteligência de dados, digitalização e pessoas para ganhar mais agilidade na tomada de decisão. 

Tenha em mente que, mesmo diante da atratividade dos dados, deve-se reconhecer gatilhos e tendências a partir da seguinte equação: dados + contexto – preconceito – achismos. Isso configura o salto para melhores resultados.

Entenda como trabalhamos e como isso te ajuda a estruturar uma cultura de dados de adaptada ao seu negócio. Entre em contato em cinnecta@cinnecta.com.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe aqui o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *