Entenda como a pandemia impactou o comportamento dos consumidores brasileiros

Certamente, as mudanças que a pandemia trouxe impactaram diretamente o comportamento dos consumidores e criaram desafios e oportunidades para as empresas. 

Ao olhar para a história, observamos que algumas crises alteraram os sistemas econômicos e de saúde, outras o modo com que lidamos com a higiene e com as relações interpessoais.

No contexto atual, entendemos que a covid19 mudou de forma permanente diversos hábitos e necessidades da população brasileira. Por isso, os especialistas da Cinnecta, a partir da inteligência de dados, realizaram um estudo que mostra as principais tendências de consumo advindas desse processo.

Inteligência de dados e método de coleta

Para consolidar esta análise, foi utilizada a ferramenta Customer Trends, desenvolvida pela Cinnecta, para fornecer um overview do cenário, dos públicos e de diferentes mercados de atuação.

Nesse sentido, foi possível mapear interesses, mudanças de hábitos, preferências e comportamentos predominantes entre os brasileiros.

Dessa forma, para estabelecer padrões de comparação entre o momento pré-pandemia e entender o impacto desse contexto, nós comparamos o período de Fevereiro de 2020 a Março de 2021. 

Comportamento dos consumidores

Em primeiro lugar, comparamos o crescimento do interesse dos brasileiros em categorias do mercado de serviços financeiros, serviços financeiros digitais e perfil digital, dentro do período analisado. Posteriormente, avaliamos as diferenças segmentadas por classe social e por região do país em cada categoria. 

Conheça o estudo completo: Insights Cinnecta: 1 ano de pandemia no Brasil

Perfil digital

O perfil digital corresponde à utilização de serviços como pagamentos digitais, utilidades digitais, delivery, entre outros. 

No período analisado, o perfil digital no Brasil cresceu 12,7% e atingiu o percentual de 58,2% em março de 2021. 

A imagem mostra as mudanças no comportamento dos consumidores durante a pandemia.
A região Norte teve um aumento de 18% em perfil digital

Assim sendo, os estados do Brasil que se destacam nesse aspecto são: Espírito Santo, com 75,8%, Distrito Federal, com 68,5% e Rio de Janeiro, com 64,7%. 

O Espírito Santo, estado com maior perfil digital, foi um dos que se destacaram no crescimento desse hábito desde o momento pré-pandemia, pois registrou um aumento de 25,8%. Além disso, outros estados que cresceram bastante em perfil digital foram o Acre, +30,6% e o Alagoas, +23,6%. 

Dentre as regiões do país, as que têm maior perfil digital são Sudeste (62,4%) e Sul (56,5%). No entanto, as regiões que mais cresceram no último ano foram Norte, com aumento de 18%, e Nordeste, com aumento de 12,7%.

Na análise por classe social, entendemos que o contexto de pandemia acelerou a digitalização das classes mais baixas, que obtiveram os maiores aumentos em perfil digital na comparação. A classe baixa cresceu 23,1% e a classe média, 19,3%. 

As classes alta e média alta, por sua vez, seguem com o maior perfil digital, com 68,7% e 61,5%, respectivamente.

Comportamento dos consumidores: setor financeiro

Os hábitos financeiros dos brasileiros foram muito impactados no primeiro ano de pandemia. Principalmente, pela impossibilidade de comparecer fisicamente em agências bancárias e o aumento das compras pela internet impulsionaram essas mudanças. 

Além disso, iniciativas como o Auxílio Emergencial e o PIX impactaram a realidade brasileira ao trazer os desbancarizados para o sistema financeiro formal e facilitar a realização de transações online. 

Conheça o estudo completo: Insights Cinnecta: 1 ano de pandemia no Brasil

Serviços financeiros digitais

Nesse cenário, os serviços financeiros digitais cresceu 23,7% no Brasil entre fevereiro de 2020 e março de 2021 e chegou a 42,3% de interessados no país. 

Estes são, em sua maioria, pertencentes às classes baixa e média, que apresentam 46,3% e 43,3% de interesse, respectivamente. A classe média teve um dos maiores aumentos em serviços financeiros digitais no período, com +20,4%. Por outro lado, a classe média alta ultrapassou a classe média em crescimento e obteve +20,9% no período.

Ademais, ao observar o recorte por regiões do país, vemos que o Nordeste possui a maior proporção de interessados em serviços financeiros digitais, com 46,9%. No entanto, a região Sudeste tem o maior número absoluto de usuários. 

As regiões brasileiras com maior aumento nesse interesse durante a pandemia foram o Norte, +33,9% e o Sudeste, +24,4%. 

Nos estados do Brasil, os que possuem mais interesse em serviços financeiros digitais são:

  • Rio Grande do Norte: 50,7%
  • Ceará: 50,3%
  • Distrito Federal: 49,5%
  • Alagoas: 48,5%
  • Bahia: 47,2%

Bancos tradicionais

O interesse em bancos tradicionais é o mais alicerçado entre os brasileiros e chegou a 83,7% em março de 2021.  

Dentre as classes sociais, o interesse se apresenta da seguinte forma:

  • Alta: 90,8%
  • Média alta: 87,9%
  • Média: 83,8%
  • Baixa: 77,4%  

Além disso, o maior crescimento no período foi registrado na classe baixa, de 3,2%.

Nas regiões do Brasil, enquanto o Centro-Oeste tem a maior proporção de interessados em bancos tradicionais, a região Sudeste tem o maior número absoluto de usuários e a região Norte registrou o maior crescimento no período comparado, de 4,3%.

Pagamentos digitais

Com a adaptação ao contexto e aos novos hábitos impostos por ele, os pagamentos digitais passaram a gerar mais valor para usuários que ainda não tinham adotado a prática de realizar esse tipo de transação financeira digital. 

Sendo assim, ao analisar o grande crescimento nesse interesse, acreditamos que esse aumento é uma tendência que veio para ficar e que este hábito ganhará cada vez mais importância para os consumidores.

Entre fevereiro de 2020 e março de 2021 foi registrado um aumento de 39,6% no interesse em pagamentos digitais no Brasil, um avanço de 25,7% para 35,9%. 

No recorte por classe, nós observamos que os interessados pertencem, em sua maioria, às classes baixa e média, que registram 37,5% e 37,9%, respectivamente. Além disso, a classe média registrou o maior aumento no interesse em pagamentos digitais no período, com +43,2% e foi seguida pela classe média alta, +38,6%.

Ademais, dentre as regiões do país, o Sudeste se destaca ao possuir o maior interesse em pagamentos digitais, com 37,7% e um dos maiores crescimentos registrados no período, de +46,2%. 

A região que desbanca o Sudeste no aumento do interesse em pagamentos digitais é a região Norte, que cresceu impressionantes 48,4% no aspecto durante a pandemia. 

Na comparação realizada, o crescimento do interesse em pagamentos digitais foi muito expressivo em diversos estados. Os maiores aumentos registrados são:

  • Acre: +67,8%
  • Amazonas: +67,5%
  • Rio de Janeiro: +60,7%

Conheça o estudo completo: Insights Cinnecta: 1 ano de pandemia no Brasil

Investimentos

Ao avaliar a variação do interesse em investimentos, podemos realizar análises significativas no recorte por classe. 

Tanto no registro de fevereiro de 2020 quanto de março de 2021, a classe alta apresentou o maior interesse em investimentos, com 15,8%. Além disso, registrou o maior aumento no período, de +10,3% e a classe baixa aumentou 8%, sendo a segunda maior.

No extrato por região, o Sul e o Sudeste do país possuem o maior interesse em investimentos, com 9,4% em março de 2021. 

Ademais, os municípios que registraram os maiores crescimentos no interesse em investimentos durante a pandemia foram:

  • São Gonçalo
  • Vila Velha
  • Duque de Caxias

Inteligência de dados como aliada em momentos de crise

Os tempos de crise, instabilidade e dificuldades sócio-econômicas são grandes propulsores de mudanças no mundo.

Assim, algumas crises alteraram os sistemas econômicos e de saúde, já outras modificaram a forma que lidamos com o trabalho e com as relações interpessoais. 

Nesse sentido, a inteligência de dados é aliada na superação de crises e na implementação de recursos que permitem um melhor e maior entendimento dos públicos. Portanto, quando bem analisados, auxiliam na leitura do contexto e na elaboração de soluções de valor.  

Dessa forma, a inteligência de dados considera mais que a combinação de informações e abarca a ciência e o cenário que lhe é imposto. 

Para saber mais, assista ao webinar – Inteligência de Dados em Cenário de Riscos e Incertezas  com o COO da Cinnecta, o Data Science Director da Localiza, o CDO e Data Protection Officer da Digio e com a mediação de Vinícius Braz (Endeavor).

Insights Cinnecta: mudanças da pandemia no comportamento dos consumidores

Os especialistas da Cinnecta reuniram dados ainda mais completos em um estudo que analisa as mudanças no comportamento do consumidor um mês e um ano após o início da pandemia. Acesse o material aqui.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe aqui o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *