analise de credito e covid-19

Análise de crédito em um cenário de incertezas – covid19

Como mitigar riscos na análise de crédito?

A dinâmica gerada pelo covid-19 configura no mundo um cenário de incertezas e ainda não é possível  mensurar todas as consequências. O que se pode afirmar é que, após a chegada do vírus, sofremos mudanças na rotina, no modo que interagimos e, consequentemente, enfrentaremos os impactos sociais e econômicos gerados. 

Na segunda semana de março, a Organização Mundial de Saúde (OMS) oficializou a declaração de pandemia causada pelo coronavírus. A partir desse cenário de imprevisibilidade, posturas e ações rápidas são cada vez mais exigidas das empresas, instituições e sociedade. 

Dentre as transformações, maneiras distintas e novas de conduzir negócios serão estabelecidas. O que era atual, pode perder relevância, e uma das áreas que serão revistas é a de medidas para análise de crédito.

O que antes era preciso para aferir a aprovação de crédito sofrerá influências das novas transações e dos novos hábitos de consumo. Mas como conceder crédito em um cenário tão volátil mitigando os riscos? 

Análise de crédito em tempos de crise 

Para conceder crédito no Brasil existe uma série de regras que seguem as diretrizes do Sistema Financeiro Nacional e que são reguladas pelo Banco Central. 

No entanto, para que a atividade se dê com segurança, é preciso conhecer além do trivial, deve-se compreender também o setor de atuação que sua empresa está inserida  e os diversos fatores que o influenciam. Isso porque a concessão de crédito pressupõe uma análise acurada – da pessoa física ou jurídica que solicita o recurso – e assertiva – que seja coerente, elimine as redundâncias e otimize os processos. 

Em tempos de crise ou sob grande pressão da sazonalidade esses dois fatores são ainda mais necessários. Fato perceptível na ação do Governo em abrir crédito extraordinário de R$ 3,4 bilhões no combate ao covid-19.

Diante de um contexto de instabilidade econômica, com fechamento momentâneo de alguns setores do comércio e de serviços, muito em breve observaremos um aumento da demanda por crédito. O que irá requerer também uma maior assertividade nas análises. 

Score e política de concessão de crédito 

As formas de avaliação do Score em um cenário prévio à todas essas transformações se dava a partir do conhecimento de diferentes aspectos como: histórico de inadimplência, relacionamento com empresas, faixas de atraso, possíveis fraudes e restrições no nome. Com o Score traçado, a decisão é tomada.

Sua diretriz deve ser personalizada para seu modelo de negócio. 

Situações como a atual modificam as regras para ceder crédito, e essa elaboração parte do momento que os clientes e a empresa estão inseridos. Isso posto, é nítida a necessidade de conhecer bem quem consome seus produtos e também de ter a capacidade de combinar informações para tecer estratégias. 

A pergunta é: como isso pode ser feito? 

Novo cenário para análise de crédito e risco 

Uma análise de crédito eficiente deve avaliar a reputação do cliente, conhecê-lo melhor em comportamento e capacidade financeira, bem como compreender como ele lida com os prazos, sem que seu empreendimento corra grandes riscos. Aqui vão três pontos importantes:

análise de crédito e gerenciamento de riscos
fonte: freepik

Alinhe suas estratégias de negócio 

Já mencionamos aqui que a política de crédito precisa ser personalizada e que critérios generalistas não cabem, uma vez que variam por setor. Para não perder oportunidades, otimizar recursos e, ao mesmo tempo se resguardar é necessário alinhar as expectativas, as estratégias e os insumos disponíveis.

Se o mundo está em crise ou se o período pressiona economicamente, ponderar e reavaliar é importante 

Conheça o cliente e tenha referências embasadas

Tomar a decisão na hora de conceder crédito exige que você conheça bem o cliente, logo: tenha uma boa base dados. Ela é quem vai contribuir com a assertividade para definir o modelo, a finalidade, o momento e para quem conceder crédito.

Com essas informações você consegue prever e entender os hábitos e as predileções dos públicos, além de ter acesso às referências quanto ao padrão de consumo. 

Os dados são aliados imprescindíveis, e a ausência ou mau uso deles configura o grande gargalo na hora de tomar a decisão correta. Isso porque informações rasas, incompletas e incorretas, além de atrapalhar a análise legítima do cliente, podem ocasionar a perda de oportunidades na hora de fechar negócio.

Fato que nos leva ao último ponto.

Mantenha-se sempre atualizado em informações e ferramentas 

Outro ponto que dificulta a boa análise é a desatualização. Após o covid-19 estamos inseridos num cenário ainda mais volátil. Portanto, estar atento às mudanças no comportamento do cliente e na dinâmica mundial são diferenciais. 

Para isso é preciso contar com ferramentas que aprendam em tempo real e que sejam adequadas ao seu modelo de negócio. Em momentos como esse a tecnologia e a inteligência de dados são fundamentais para garantir a agilidade nas análises.

Em resumo, o momento pede atenção redobrada e equilíbrio, entre a concessão de crédito e os riscos. Nesse aspecto, os dados são a base para uma análise contextualizada e ,assim, assertiva. Além disso, ater-se a qualidade das informações usadas, bem como do grau de atualização delas é quem vai possibilitar a sua empresa contribuir com a saúde financeira do cliente e mitigar prejuízos.

Como a sua empresa tem de preparado para esse novo cenário?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe aqui o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *